Dor muscular tardia

24/03/2016 12:35

                                       

Sabe aquela dorzinha que te incomoda um dia depois de ter voltado para academia? Pois essa sensação tem um nome: Dor muscular tardia. 

O que é?

Dor muscular tardia é a sensação de dor e desconforto muscular após prática de exercício em pessoas que eram sedentárias ou faziam atividades físicas menos intensas. Ou seja, é a dor muscular que acomete quem não estava acostumada com o exercício realizado. 

Quanto tempo dura?

Geramente a dor começa horas depois do exercício, ficando mais forte 24 a 48 horas após a atividade física. A dor então vai diminuindo, geralmente desaparecendo após 5 a 7 dias. Mas em alguns casos pode durar até 10 dias.

Devo me preocupar?

Apesar da dor muscular tardia ser frequente, alguns sinais devem servir de alerta, como: Dor em região articular (nas "juntas") associada, incapacidade de realizar tarefas cotidianas devido a intensidade da dor(ex: não conseguir andar, pentear o cabelo, precisar faltar ao trabalho), edema (inchaço) muito pronunciado, hematomas e mudanças na coloração da urina.

Como prevenir?

Realizando progressão do exercício, ou seja, começando com intensidades menores (aquecimento), respeitando o tempo de recuperação do músculo(não fazer exercícios de fortalecimento dos mesmos grupos musculares em dias seguidos), realizando pausas entre as séries, se concentrando na execução correta do exercício. O alongamento como prevenção da dor ainda é controverso.

Vale ressaltar que a dor muscular tardia é uma condição comum, por isso mesmo seguindo as orientações acima ela pode ocorrer. Entretanto com os devidos cuidados ela será menos intensa e não acarretará em limitação funcional duradoura.

Como tratar?

Crioterapia- Utilização do frio para reduzir o processo inflamatório, dor e formação de edema. Bolsas de gelo, imersão em água fria, massagem com gelo, são algumas das formas. É preciso ter cuidado, pois o gelo em contato direto com a pele pode lesioná-la!

Massagem, drenagam linfática - Melhora no fluxo sanguíneo local, redução do edema, relaxamento. A técnica deve ser aplicada de forma criteriosa, pois massagens mais intensas podem lesionar ainda mais os músculos.

Recursos de eletro e fototerapia- Alguns equipamentos utilizam correntes elétricas, ultrassom, laser terapêutico.

 

Bruna Souza de Matos, fisioterapeuta

 

 

Referências:

LAURINO, CFS. Atualização em ortopedia e traumatologia do esporte.Disponível em: http://sbrate.com.br/pdf/artigos/atualizacao_em_lesoes_esportivas.pdf

SILVA, JC; SOUZA, JPL; VIEIRA, CS; ARAÚJO,RC. Dor muscular tardia. Fisioterapia Ser • vol. 5 - nº 3 • 2010